sexta-feira, outubro 27, 2006

CANÇÃO DAS PROSTITUTAS



Cansadas de sofrer, as dolorosas
se embriagam de sonho, amando as rosas
e amando os lírios em ideais noivados.
SOSÍGENES COSTA

Estilhaços de azul emolduram o poente.
As prostitutas de Sosígenes, encantadoras serpentes,
silenciam no cais dores ausentes.

Vestidos vermelhos amarelados,
em tons furtivos de saudades,
bailam com seus fantasmas na brisa

(volúpia sonora do orgasmo marítimo)

desta tarde longínqua
reverberada em sonetos

naufragados.


Cleberton Santos

ILUSTRAÇÃO PARA O POEMA CANÇÃO DAS PROSTITUTAS DE CLEBERTON SANTOS. ACRÍLICO SOBRE TELA. GABRIEL FERREIRA. 2006.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home