segunda-feira, julho 10, 2006

PAUSA PARA UM BEIJO


PAUSA PARA UM BEIJO

!
Pausa... para um beijo.

Moléculas musicais –
como a explicação para as sabidas coisas que não se vêem –
aqueceram além da decisão científica.

Ninguém pediu para que eu beijasse.
Embora, eu tenha beijado, ainda assim.

O beijo se recusou culpado,
ferido de outro beijo,
e um terceiro beijo desejou se permitir.

Você é bonita como a quebra de ritmo.
Como a cadência cuja melodia é a sensação apenas.
Vi, feio, o que me completa:
um beijo acusa o desejo (que quando espírito é supremo)
e, tão exato,
perde o álibi.

Este poema não beija nada
além do pensamento.
Não anseia mais nada além de lembranças.
Pois que o beijo se eternizou antes de definhar.
E tudo, agora, é pretensão.

Desejei o beijo antes da alegria.
Não inferia o que só agora sei:
o beijo é um vazio nos poetas férteis.

TELA: "PAUSA PARA UM BEIJO". AST. VÉSPERA DE SÃO JOÃO/2006 - GABRIEL FERREIRA

4 Comments:

Anonymous Amanda said...

como sempre intensa sua pintura!!

terça-feira, julho 11, 2006 8:23:00 AM  
Blogger Gabriel Ferreira said...

Oi Nana! Muito obrigado pela admiração e pela energia. A intensidade faz parte da minha pintura sim, quero que ela transmita sentimento. O fazer por fazer torna inócua a intenção social da arte. Estou produzindo com cuidado e divulgando aos poucos. Estou ao lado de pessoas que me dão a maior força, sem estas, não poderia encher de vida meu trabalho.

Beijos e Vinhos

terça-feira, julho 11, 2006 8:44:00 AM  
Anonymous Kareen said...

O que mais me atrai nas obras de Gabriel são as "emoções" que elas (individualmente) me fazem sentir.
Parabéns!

quarta-feira, julho 12, 2006 2:34:00 PM  
Blogger Gabriel Ferreira said...

... apenas isso minha companheira Kareen! Apenas!

quarta-feira, julho 12, 2006 4:51:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home